• Canal do Médico

    Para maior comodidade e segurança no auxílio ao diagnóstico o Controle conta com o Canal Direto do Médico.

    leia mais
  • Clientes

    A mais de 15 anos de experiencia e cuidados de saúde com seu público

    leia mais
  • Espaço Saúde

    A série DE OLHO NA SAÚDE, contém respostas para as perguntas mais frequentes sobre algumas doenças.

    leia mais
  • Controle Kids

    Unidade especializada para atendimento à crianças.

    leia mais
  • Exames realizados

    Conheça as orientações e instruções dos exames realizados pelo Controle

    leia mais

Dosagem de Proteínas

dosagem-de-proteinas2O teste de proteínas totais mede a quantidade total de dois tipos de proteínas existentes no corpo: albumina e globulina. O teste faz parte da bateria rotineira de exames de avaliação da saúde (checkup). Pode também ser feito quando há perda de peso inesperada, fadiga, ou sintomas de doenças renais (dos rins) ou hepáticas (do fígado).
As proteínas são partes importantes de todas as células e tecidos. As proteínas são necessárias para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da saúde do organismo. O sangue contém duas classes de proteínas: albumina e globulina. A albumina não permite que os líquidos extravasem dos vasos sanguíneos. As globulinas têm importante papel no sistema imunológico.
O teste de proteínas totais é realizado como parte da rotina dos checkups de saúde. Trata-se de um dos testes que fazem parte de um painel abrangente de exames médicos. Pode também ser requisitado por razões específicas, quando há perda de peso inexplicada, fadiga, edema ou sintomas de doença renal ou hepática.
O teste de proteínas totais mede a quantidade total de proteínas no sangue, em especial quanto ao teor em albumina e globulinas.
O teste avalia também a relação entre albumina e globulinas no sangue. Isso é chamado relação A/G.
O teste usa uma amostra de sangue que é analisada em laboratório. Para obter uma amostra de sangue, o técnico de laboratório retira sangue da veia do braço ou da parte de cima da mão. Primeiro, limpa-se o local com gaze ou algodão embebido em solução antisséptica. Um funcionário do laboratório envolve uma faixa ao redor do braço para aplicar pressão na região e insere suavemente uma agulha na veia. O sangue será coletado em um tubo conectado à agulha. Quando o tubo estiver cheio, a faixa e a agulha serão retiradas do braço. Deve-se pressionar o local da punção com algodão para estancar o sangramento.
Em bebês ou crianças pequenas, usa-se uma lanceta para puncionar a pele e o sangue é coletado em uma pequena pipeta de vidro, em uma tira-teste ou em lâmina. Em caso de sangramento pode-se aplicar um curativo no local.
Não é necessário nenhum preparo especial antes de fazer o teste. O atendente avisará se há necessidade de evitar alimentos ou bebidas antes do teste.
Muitos medicamentos podem afetar os resultados dos testes de proteínas totais. Antes do teste, o médico deve ser informado sobre os medicamentos em uso.
Entre os medicamentos que podem afetar os resultados do teste estão:

• esteroides
• andrógenos
• corticosteroides
• dextrana
• hormônios de crescimento
• insulina
• fenazopiridina
• progesterona
• íons amônio
• estrogênio
• anticoncepcionais orais

Pode-se sentir dor ou desconforto moderado causado pelo teste. Os riscos associados a um exame de sangue são mínimos. Em alguns casos, pode ocorrer:
• sangramento excessivo
• desmaio, sensação de que se vai desmaiar ou atordoamento
• aparecimento de um hematoma (mancha roxa por causa do sangue acumulado sob a pele)
• sempre que há quebra de continuidade da pele há risco de infecção

Faixa dos níveis de proteínas totais
Os níveis normais de proteínas totais variam entre 6 e 8,3 g/dl (gramas por decilitro ou gramas por 100 ml). Esta faixa pode variar ligeiramente de um laboratório para outro. Essas faixas variam também de acordo com outros fatores, como idade, sexo, população e método utilizado para o teste. Os níveis de proteínas totais podem aumentar durante a gestação .
Se o nível de proteínas totais estiver alterado, devem-se fazer outros testes para identificar a proteína específica que está baixa ou alta, antes que se possa estabelecer um diagnóstico.
Níveis elevados de proteínas totais podem indicar:
• inflamação ou infecções (como, por exemplo, pelo vírus da hepatite B ou C ou pelo HIV)
• distúrbios da medula óssea (tais como mieloma múltiplo e doença de Waldenstrom)

Níveis baixos de proteínas totais podem indicar:
• sangramento
• doença hepática
• doença renal (como distúrbios nefróticos ou glomerulonefrite, uma inflamação dos glomérulos renais).
• subnutrição
• síndrome de má absorção (como ocorre na doença celíaca ou na doença inflamatória intestinal)
• queimaduras extensas
• agamaglobulinemia (gamaglobulina no sangue inexistente ou muito diminuída)
A relação A/G (albumina/globulinas) normal é ligeiramente maior do que 1 (um). Quando a relação é muito baixa ou muito alta, devem-se fazer outros testes para se determinar a causa e se fazer o diagnóstico. Em geral, a relação muito baixa sugere a existência de doença autoimune, mieloma múltiplo, cirrose ou doença renal. Uma relação muito alta pode indicar deficiências genéticas ou leucemia.

Não há nenhum comentário.

Deixe uma resposta

Você deve estar logado para postar um comentário.